Angela Geo cria obra com a imponência de um monumento e  delicadeza de uma joia

NR1_6098
A artista e a obra

A artista plástica e designer de joias, Angela Geo, irá inaugurar no dia 18 de setembro sua primeira escultura, localizada no aeroporto da Pampulha, na cidade de Belo Horizonte (MG). O projeto intitulado “Minas Mundo” surgiu através do olhar atento de Haydee Muglia, galerista e atual curadora do projeto, que, ao ver a coleção de joias “Universo de Esferas” desenhada por Angela – mais especificamente um brinco de formato espiralado – idealizou o projeto.  Ao se encantar pelo trabalho e formas usadas por Angela, Haydee propôs um desafio à artista: criar uma escultura seguindo os formatos curvilíneos de suas peças, com a irreverência de um monumento e a delicadeza de uma joia.

Desafios diversos 

NR1_6124
Protótipo e obra

O processo, desde a ideia inicial até a conclusão da obra, levou cerca de quatro anos. Os desafios enfrentados pela artista foram dos mais diversos, como a dificuldade de encontrar uma oficina que aceitasse moldar a peça. As dificuldades, porém, não detiveram a determinação de Angela de colocar seu monumento de pé: “ver a minha obra concluída é uma realização muito grande. Tudo valeu a pena. Estou muito feliz”, conta a artista. A escultura em aço inox, medindo cerca de quatro metros, foi finalizada no dia 30 de junho e possui versão reduzida. Para que deficientes visuais possam tocá-la por completo sem se cansarem, de maneira que possam entender a obra em sua totalidade. A escultura faz alusão ao mundo e ao universo, utilizando o ritmo e as curvas das montanhas de Minas Gerais como inspiração.

Trajetória da artista 

NR1_6198
A obra nos jardins do aeroporto da Pampulha

Autodidata por excelência, Angela nunca abriu mão do seu estilo experimentalista, de não estabelecer limites para sua criatividade e da busca incessante em testar diversos tipos de materiais em suas obras. Além de artista plástica e designer de joias, Angela possui em seu acervo pessoal, centenas de arquivos sobre a sua vida e suas técnicas artísticas, escritos por ela. Em entrevista, a criadora da obra conta que, desde que se conhece por gente, já era artista. Teve seu primeiro atelier aos 15 anos de idade, aos 18 realizou um curso de ourives e sempre transitou pelas diversas áreas da arte. “Todo o material tem o seu desafio, e essa busca incessante é o que movimenta toda a minha pesquisa”, conclui ela.

Fotos: Nélio Rodrigues