Especialista explica também como a fisioterapia ajuda, e muito, na recuperação de pacientes

outubrorosa_release_755437
O câncer de mama, embora atinja em sua grande maioria, mulheres de 35 à 60 anos, vem se espalhando, cada vez mais, entre as jovens adultas e também, homens. Caracteriza-se pela formação de nódulos nas glândulas mamárias, que com um crescimento rápido e desordenado de células, pode evoluir para tumores malignos e até mesmo, espalhar-se pelo resto do corpo. Pela sua rápida evolução é importantíssimo que as mulheres façam o autoexame periodicamente – além dos exames realizados por profissionais – e conheçam seus seios o suficiente para reconhecerem alterações e informarem ao médico ginecologista, para que o câncer seja detectado o mais rápido possível.

Fisioterapia na recuperação

Quando há a constatação do tumor mamário, além dos tratamentos com quimio e radioterapia, e a própria cirurgia de retirada parcial ou total das mamas (em casos mais extremos), há outras maneiras de aliviar os sintomas e sequelas, como explica a fisioterapeuta, Ana Gil.

“No caso da mastectomia, o tratamento vai muito além da drenagem linfática. A fisioterapia busca não só a redução do edema existente, mas trabalha também a cicatriz; previne e melhora a mobilidade e força do ombro e membros superiores – que são afetados pelos procedimentos cirúrgicos. Muitas vezes há também alterações posturais, onde entra o RPG e por fim o Pilates, que auxilia no tratamento e manutenção dos ganhos da fisioterapia”, afirma a profissional.

Pilates e exercícios físicos na prevenção

Ainda segundo a especialista e diretora do Espaço Ana Gil, é importante ressaltar que o tratamento pode começar antes da cirurgia, com o condicionamento físico no Pilates, pois os exercícios amenizam as sequelas do pós-operatório “Além disso, o ambiente da clínica e de sociabilidade também são importantes para a paciente, pois é muito comum a baixa da autoestima e até depressão”, finaliza.

O Pilates também é considerado uma forma de prevenção ao câncer de mama e de cólon, visto que, de acordo com o relatório de “Recomendações Mundiais Sobre Atividade Física”, feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 25% dos casos destes tipos de câncer poderiam ser prevenidos se as pacientes praticassem exercícios por, no mínimo, 2 horas e meia por semana.

Exames em dia amenizam fatores de risco

De acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), os tumores mamários malignos, são os que mais levam as brasileiras à morte, e a estimativa é de 57.120 mil casos de tumores de mama por ano. Se há histórico familiar de câncer de mama na sua família, se você teve sua primeira menstruação antes dos 11 anos de idade, e passou dos 30 anos sem ter tido filhos, fique atenta, pois estes são fatores de risco.

O câncer de mama, quando identificado no início, tem até 95% de cura! Por isso, atente-se aos sinais. A melhor época para se fazer o autoexame, é durante os primeiros dias após a menstruação, quando as mamas estão desinchadas. Não deixe de marcar uma consulta com o ginecologista, pelo menos, uma vez por ano. Mantenha sua saúde íntima, e seus exames, em dia.

Espaço Ana Gil

Fisioterapia, Estética e Pilates |Barra da Tijuca| Rio de Janeiro|RJ

Fanpage: facebook.com/espacoanagil

Instagram: @espacoanagil

Twiter: @espacoanagil

Anúncios